My first CW QSO using QO-100

Using a setup for which I had made done some calculations, tonight I was testing the QO-100 (CW / 2.4 GHz on the uplink and 10.4 GHz on the downlink) when a German station (DL3GAK, Udo) called me.

Despite being with the helix antenna (home made) in the hand, outside the window (!!!!), the signal produced is more than enough to make QSOs.
My performance as an antenna rotor was poor because I produced a lot of QSB when I’m looking to other stuff…

Next step will be the production of more helix for the OMs of the Quinta do Lambert Amateur Radio Society*…
Just after that I will put up all antennas in the rooftop. That will take a litle longer because it will be necessary to attach all equipment in a watertight box.

I would like to thank the many OMs who had shared their knowledge, some of which are Portuguese.

TKS ! CU at QO-100!

A close view of the 19 turns homemade helix

* This Amateur Radio Society doesn’t exist but we are 3 OM that live really close by and we like to call ourselves that way…

Advertisements

CT/ES-002 – A garden, a palace, a view and CW novices!

18DEZ2016 AM

 

Text will be placed here ASAP

 

 

O KX-2 em revista – 2 meses depois!

14DEZ2016
Language PT
Fotografias de CT1DBS, excepto na indicada

A primeira abordagem ao KX-2 revela um equipamento verdadeiramente pequeno, considerando que integra a bateria, o ATU e toda a panóplia de coisas que, normalmente, apenas se encontra noutros equipamentos de maior dimensão…

Depois da surpresa relativamente ao tamanho, seguem-se outras surpresas.
Desde logo, ao abri-lo, verifica-se que não há mesmo espaço para mais. A optimização do espaço é total!

dscn8142-2

Para quem está habituado ao KX-3, é fácil a adaptação a este equipamento.

O sistema de menus é muito parecido e, tendo algumas diferenças do KX-3 – tem menos botões -, é necessário ler o bem escrito manual porque há funções que têm de ser reguladas no menu.

O manual leva o conceito KISS ao seu limite!

na-mao

Foto da Elecraft

O equipamento vem com um microfone incorporado para quem quiser utilizar o equipamento à mão, possuindo ainda um borne para um trailing counterpoise para quem desejar utilizar o rádio em móvel pedestre.
O trailing couterpoise sai facilmente do borne para evitar que, se o fio ficar preso, possa determinar problemas para o operador e para o rádio.

O rádio faz as bandas de HF entre os 80m e os 10m (9 bandas), tendo elevada sensibilidade na recepção e 10 W de potência na emissão.

Note-se que este é um SDR que utiliza um DSP com vírgula flutuante de 32 bits!
Pequeno mas potente em possibilidades para modificar o NB, a largura de banda, etc…

O display é praticamente igual ou mesmo igual (não medi) ao do KX-3, sendo tudo muito legível e bem “arrumado”!

dscn8114-2À semelhança de outros produtos Elecraft, cuja qualidade é, normalmente, muito boa, o ATU sintoniza rapidamente quase tudo. Os filtros são eficientes e a recepção muito confortável.
A bateria interna (2.6 Ah, Li-ion) permite várias activações, sendo que abaixo dos 10V (key-down) o rádio baixa, automaticamente, a sua potência para 5W, ou seja, menos meio sinal S no lado do receptor…

 

Uma carga de bateria deu para cerca de 100 QSOs (CW) em 2 activações nos Açores e uma no continente.
Segundo o fabricante, a bateria dá para cerca de 8h de operação normal.
Em RX consome cerca de 135 mA, tal como anunciado pelo fabricante.
Na fotografia abaixo, o consumo era de 132 mA, mas tinha o pré-amplificador desligado. Com o pré-amplificador ligado, o consumo aumenta para 136 mA.

dscn8171-2

O único senão é o facto de ter de tirar a bateria para a carregar, mas atendendo ao custo do rádio e à falta de espaço, é compreensível que o rádio não seja possuidor de um carregador interno.
Contudo, diga-se, o processo de colocar e retirar a bateria é muito fácil e rápido, pelo que este inconveniente é um problema menor.

Interessante é a o rádio possuir um Ahmeter que permite saber qual a capacidade consumida da bateria em cada momento e, desta forma, gerir a energia disponível!

No caso, estão consumidos 2,959 AH. Uma indicação útil para quem opera em portátil. 🙂

dscn8097

Outra circunstância que notei foi a utilização de uma pilha de Li-ion em detrimento das LiPO ou de das LiFePO4.
Segundo se diz, a Elecraft optou por esta tecnologia por estar muito testada e ter dado provas, evitando assim problemas ulteriores. Faz sentido!

 

dscn8142-2

O rádio tem um acabamento esmerado, tendo um pé traseiro para o levantar e facilitar a operação/visualização do display e botões!

dscn8153-2
Sendo um rádio dedicado a actividades de outdoor é pena que não tenha um maior grau de impermeabilização, denotando-se vários “buracos” na estrutura que deveriam estar tapados.

Existem os seguintes buracos na estrutura do aparelho: (i) chave de morse e respectivos parafusos de aperto (3 buracos); (ii) Borne miniatura para o trailing wire; (iii) Microfone interno; (iv) altifalante.

Os buracos para chave de morse são tapáveis, através do recurso a tampas feitas pela Gems KX, que também faz as proteções laterais e a redoma de acrílico para proteção do rádio.

Verdade seja que a utilização deste rádio tem de ser criteriosa e, por isso, mais uma vez estamos a falar de pormenores.

dscn8017

Em CT/ES-001

Mas nada aconteceu quando, na activação de CT/ES-001, saímos de lá todos molhados (eu, o rádio e os acessórios…hi)!

Uma das coisas que notei imediatamente foi a falta de uma recessão no botão do VFO para meter o dedo e mudar a frequência, tal como acontece com o KX-3.
Mas, depois de 5 minutos com o rádio, a coisa tornou-se fácil, mesmo para um OM com dedos grandes, como é o meu caso.
E esta é uma outra diferença fundamental na utilização deste equipamento: A ergonomia!

Mesmo com dedos grandes e com luvas (ver ct1dbs/wordpress/…Montejunto) é muito fácil utilizar os botões todos e mudar o que tem de ser mudado.
Mais um ponto a favor para quem é ativador SOTA. 🙂

A operação em split é intuitiva e vem dotado com recepção dupla (+/-23 KHz de diferença máxima entre ambos os VFOs).
É possível, também, a introdução directa de frequências, utilizando alguns botões como se fossem parte de um teclado numérico. Esta característica é útil, especialmente quando se quer mudar a frequência de trabalho de forma significativa.

dscn8096

Algo interessante e que parece importante é ter o módulo opcional de ligação KXIO2, que possibilita fazer as actualizações de software, controlar dispositivos externos (amplificadores, transverters ou relés de antena, etc) e ter um relógio incorporado.
No caso do meu KX-2, este módulo proporcionou a adição da AM, pela simples actualização de software, e ter um relógio sempre na hora UTC à minha frente, nas activações SOTA.

Entretanto, utilizando um pequeno cabo de “derivação” utilizei uns normais auscultadores+mic, dos que se usam nos telemóvel para fazer QSOs em SSB.
Os reportes do áudio foram muito bons e a facilidade de controlo do ALC e do MIC é algo a acrescentar à lista de coisas boas para quem faz fonia.
É provável que isto também tenha relação com o facto do DSP fazer o processamento da voz na emissão.

O rádio possui, a exemplo do KX-3, descodificação automática de RTTY, de CW, de PSK31 e PSK63.
Em CW, tal como todos os descodificadores, apresenta dificuldades com sinais que não estejam bem ritmados ou que estejam muito interferidos, mas é para isso que serve o “descodificador que existe entre os ouvidos”!…
Pode-se utilizar a transmissão de qualquer um destes modos recorrendo à chave de morse. O equipamento “traduz” o CW para RTTY ou PSK na emissão…

Para quem faz CW, é interessante ter a comutação T/R por díodos, não havendo lugar a cliques de relés, ou seja permitindo um QSK perfeito.

O KX-2 tem memórias para CW e para voz, o que faz com que as activações SOTA fiquem mais fáceis. Eu uso as memórias para as chamadas em CW e isso facilita a operação.

Detalhes à parte, este é um rádio impressionante, pleno de características para o activador SOTA e sem qualquer possibilidade de comparação com qualquer outra equipamento que exista no mercado, na minha modesta opinião.
Apenas perde para o FT-817 por não ter as bandas dos 6m, dos 2m e dos 70 cm. Mas não se pode ter tudo e quando se entra nesta comparação, estamos a comparar batatas com cebolas…

Que se note que gostei muito de ter e utilizar o FT-817ND, bem como outros rádios, alguns construídos cá em casa, mas, com o perfil de activador SOTA que tenho, a opção seria pelo KX-2, sem a menor dúvida.
Grande “máquina”!
🙂

73 ES GL de Pedro, CT1DBS/CU3HF

 

DSCN8078.JPG

Os três KX’s…

 

CT/BA-012, Candal. EU NA SOTA S2S Party, 19NOV16 1400 – 1700 UTC

EuropeNorth America SOTA S2S Party, 19NOV16 1400 – 1700 UTC
I left the car at Fraguinha (nice lagoon and camping), climbing between the ravaged forest due to fires in summer.

The wx was cold and windy.

Between 1438z and 1546z 32 QSO were made in the 20, 17 and 15m band, all cw.

Of those, 4 were with North America (NA).
3 S2S, only one with NA : N1EU.

EU in suffix should mean something in this kind of events!… :wink:
Tnx Barry!

I decide to quit before sunset because the mountain was almost engulfed by the clouds (1106 m high) and wind was stronger and stronger. And the temperature started to decline drastically.

I descent in the middle of the mist but I had the chance to view some fallow deer that crossed the path. They disappeared before I could take the camera out of the pocket but they were a nice view in a mountain that had no people in this cold day!

I reach the car when it starts snowing.

What a nice day!

Thanks everyone who took part. Looking forward for the next! :smile:

Vy 73 de Pedro, CT1DBS