My Christmas started earlier

My Christmas started earlier !

December 16th the postman delivered a package at home.

It was a gift from my friend OE4HDS, Helmut: Wow! 🙂 🙂 🙂 🙂

This is true amateur radio friendship!
Big thank you Helmut! 🙂

DSCN8194_LI.jpg

Yesterday I received a gift from my XYL: A begali Simplex!

Wow! 🙂 🙂 🙂

Thank you EA5ZZ for selling the paddle and be that quick to deliver!
fotografia-2

Season’s greetings to every one es 73.
GL es HNY !

Advertisements

CT/ES-002 – A garden, a palace, a view and CW novices!

18DEZ2016 AM

 

Text will be placed here ASAP

 

 

Perfect sunday morning at CT/ES-010, Monte Serves

11/12/2016 AM
Text in English will be placed here ASAP

Rapidamente combinado na noite anterior com o João Fragoso, CT7ABE, pelas 09h30 deste domingo seguimos a curta viagem até ao sopé do Monte Serves.

Ao longe as pás das eólicas quase não rodavam com falta de vento e, apesar de alguma humidade, o sol mostrava-se num céu pouco nublado.
Um dia perfeito para uma activação SOTA! 🙂 🙂 🙂

Fomos apreciando as vistas na rápida subida e, ao chegarmos lá em cima, cada montou o seu shack, costas com costas, no marco geodésico de primeira ordem.

O CT7ABE usou 5W num dipolo com traps e este escriba usou 5W, numa antena end fed long wire, sendo que a parte mais alta do fio estava suportado nos cabos telefónicos que atravessam a zona…

Combinadas as bandas de trabalho, lá fomos alternando e tentando não interferir um com o outro.
Contudo, na zona, sentia-se, por vezes, uma forte emissão que além de QRM propriamente dito chegou a dessensibilizar o RX… 😦
Isto foi sentido pelos 2, sendo que a situação afectou mais o CT7ABE/p. 😦

Às 10h41 fiz o primeiro QSO, em 20m/CW, seguindo-se, depois, mais 16.
Dos 17 QSOs há a registar os simpáticos factos:
– Dois QSOs com estações CT em CW;
– Um QSO com ZL (Nova Zelândia), já confirmado via Clublog;
– Um S2S com o CT7AFR/p.

Antes que alguém pergunte, o rápido QSO com o CT7AFR foi feito em SSB, utilizando o microfone de um auricular e, confesso (!!!), com 10W PEP (aumentei a potência do KX-2 para o nível máximo que ainda é considerado QRP)…
Este QSO foi feito pelo meio de italianos e logo a seguir a um QSO do CT7AFR com o Manuel, EA2DT, que também é “cliente habitual” desta estação aquando de activações SOTA…

Uma radiosa manhã de sol que deu para espairecer as pernas e fazer rádio.

Obrigado aos caçadores!

73 do Pedro, CT1DBS

2016 Sherpa Award – VK1AD, Andrew


Well done Andrew, VK1AD
You deserve it! 🙂

73 de Pedro CT1DBS/CU3HF

Andrew’s blog is a large recipient of interesting stuff. (clik here to see his blog)

From SOTA Reflector
 (VK3ARR)

Every year, Richard G3CWI and SOTABEAMS sponsors an award for the person who has contributed most or assisted the SOTA MT the most in the previous year. This year, we had some strong candidates, but ultimately, the MT all agreed that this year’s recipient is the standout candidate and a worthy recipient of the award.

This person has been very active in helping develop and promote SOTA. He is well-known in his association for the efforts expended in taking new activators out, and for pushing the limits of his station. He acts as a de facto AM in many ways, helping produce the last summit update for his association. He takes a scientific approach to improving his odds of contacts, studying antennas and propagation conditions at different times of the day to different parts of the world. This year he has also run a challenge to qualify as many summits on 70cm as possible, driving more use of this band in his region, and his success at this, despite the remoteness of population centres is indicative of the skill he possesses. His efforts have led to promoting contacts across the world, bringing the SOTA community together, including being one of the people helping instigate the VK-EU S2S event, and now studying possible paths and times for a VK-NA event.

While some of these require people at the other end to help enable his actions, or are parts of group efforts, the SOTA MT feels that combined, this person has improved SOTA, built the community, and pushed that community to experiment and try new things.

This year’s award recipient is, of course, Andrew Moseley VK1AD.

O KX-2 em revista – 2 meses depois!

14DEZ2016
Language PT
Fotografias de CT1DBS, excepto na indicada

A primeira abordagem ao KX-2 revela um equipamento verdadeiramente pequeno, considerando que integra a bateria, o ATU e toda a panóplia de coisas que, normalmente, apenas se encontra noutros equipamentos de maior dimensão…

Depois da surpresa relativamente ao tamanho, seguem-se outras surpresas.
Desde logo, ao abri-lo, verifica-se que não há mesmo espaço para mais. A optimização do espaço é total!

dscn8142-2

Para quem está habituado ao KX-3, é fácil a adaptação a este equipamento.

O sistema de menus é muito parecido e, tendo algumas diferenças do KX-3 – tem menos botões -, é necessário ler o bem escrito manual porque há funções que têm de ser reguladas no menu.

O manual leva o conceito KISS ao seu limite!

na-mao

Foto da Elecraft

O equipamento vem com um microfone incorporado para quem quiser utilizar o equipamento à mão, possuindo ainda um borne para um trailing counterpoise para quem desejar utilizar o rádio em móvel pedestre.
O trailing couterpoise sai facilmente do borne para evitar que, se o fio ficar preso, possa determinar problemas para o operador e para o rádio.

O rádio faz as bandas de HF entre os 80m e os 10m (9 bandas), tendo elevada sensibilidade na recepção e 10 W de potência na emissão.

Note-se que este é um SDR que utiliza um DSP com vírgula flutuante de 32 bits!
Pequeno mas potente em possibilidades para modificar o NB, a largura de banda, etc…

O display é praticamente igual ou mesmo igual (não medi) ao do KX-3, sendo tudo muito legível e bem “arrumado”!

dscn8114-2À semelhança de outros produtos Elecraft, cuja qualidade é, normalmente, muito boa, o ATU sintoniza rapidamente quase tudo. Os filtros são eficientes e a recepção muito confortável.
A bateria interna (2.6 Ah, Li-ion) permite várias activações, sendo que abaixo dos 10V (key-down) o rádio baixa, automaticamente, a sua potência para 5W, ou seja, menos meio sinal S no lado do receptor…

 

Uma carga de bateria deu para cerca de 100 QSOs (CW) em 2 activações nos Açores e uma no continente.
Segundo o fabricante, a bateria dá para cerca de 8h de operação normal.
Em RX consome cerca de 135 mA, tal como anunciado pelo fabricante.
Na fotografia abaixo, o consumo era de 132 mA, mas tinha o pré-amplificador desligado. Com o pré-amplificador ligado, o consumo aumenta para 136 mA.

dscn8171-2

O único senão é o facto de ter de tirar a bateria para a carregar, mas atendendo ao custo do rádio e à falta de espaço, é compreensível que o rádio não seja possuidor de um carregador interno.
Contudo, diga-se, o processo de colocar e retirar a bateria é muito fácil e rápido, pelo que este inconveniente é um problema menor.

Interessante é a o rádio possuir um Ahmeter que permite saber qual a capacidade consumida da bateria em cada momento e, desta forma, gerir a energia disponível!

No caso, estão consumidos 2,959 AH. Uma indicação útil para quem opera em portátil. 🙂

dscn8097

Outra circunstância que notei foi a utilização de uma pilha de Li-ion em detrimento das LiPO ou de das LiFePO4.
Segundo se diz, a Elecraft optou por esta tecnologia por estar muito testada e ter dado provas, evitando assim problemas ulteriores. Faz sentido!

 

dscn8142-2

O rádio tem um acabamento esmerado, tendo um pé traseiro para o levantar e facilitar a operação/visualização do display e botões!

dscn8153-2
Sendo um rádio dedicado a actividades de outdoor é pena que não tenha um maior grau de impermeabilização, denotando-se vários “buracos” na estrutura que deveriam estar tapados.

Existem os seguintes buracos na estrutura do aparelho: (i) chave de morse e respectivos parafusos de aperto (3 buracos); (ii) Borne miniatura para o trailing wire; (iii) Microfone interno; (iv) altifalante.

Os buracos para chave de morse são tapáveis, através do recurso a tampas feitas pela Gems KX, que também faz as proteções laterais e a redoma de acrílico para proteção do rádio.

Verdade seja que a utilização deste rádio tem de ser criteriosa e, por isso, mais uma vez estamos a falar de pormenores.

dscn8017

Em CT/ES-001

Mas nada aconteceu quando, na activação de CT/ES-001, saímos de lá todos molhados (eu, o rádio e os acessórios…hi)!

Uma das coisas que notei imediatamente foi a falta de uma recessão no botão do VFO para meter o dedo e mudar a frequência, tal como acontece com o KX-3.
Mas, depois de 5 minutos com o rádio, a coisa tornou-se fácil, mesmo para um OM com dedos grandes, como é o meu caso.
E esta é uma outra diferença fundamental na utilização deste equipamento: A ergonomia!

Mesmo com dedos grandes e com luvas (ver ct1dbs/wordpress/…Montejunto) é muito fácil utilizar os botões todos e mudar o que tem de ser mudado.
Mais um ponto a favor para quem é ativador SOTA. 🙂

A operação em split é intuitiva e vem dotado com recepção dupla (+/-23 KHz de diferença máxima entre ambos os VFOs).
É possível, também, a introdução directa de frequências, utilizando alguns botões como se fossem parte de um teclado numérico. Esta característica é útil, especialmente quando se quer mudar a frequência de trabalho de forma significativa.

dscn8096

Algo interessante e que parece importante é ter o módulo opcional de ligação KXIO2, que possibilita fazer as actualizações de software, controlar dispositivos externos (amplificadores, transverters ou relés de antena, etc) e ter um relógio incorporado.
No caso do meu KX-2, este módulo proporcionou a adição da AM, pela simples actualização de software, e ter um relógio sempre na hora UTC à minha frente, nas activações SOTA.

Entretanto, utilizando um pequeno cabo de “derivação” utilizei uns normais auscultadores+mic, dos que se usam nos telemóvel para fazer QSOs em SSB.
Os reportes do áudio foram muito bons e a facilidade de controlo do ALC e do MIC é algo a acrescentar à lista de coisas boas para quem faz fonia.
É provável que isto também tenha relação com o facto do DSP fazer o processamento da voz na emissão.

O rádio possui, a exemplo do KX-3, descodificação automática de RTTY, de CW, de PSK31 e PSK63.
Em CW, tal como todos os descodificadores, apresenta dificuldades com sinais que não estejam bem ritmados ou que estejam muito interferidos, mas é para isso que serve o “descodificador que existe entre os ouvidos”!…
Pode-se utilizar a transmissão de qualquer um destes modos recorrendo à chave de morse. O equipamento “traduz” o CW para RTTY ou PSK na emissão…

Para quem faz CW, é interessante ter a comutação T/R por díodos, não havendo lugar a cliques de relés, ou seja permitindo um QSK perfeito.

O KX-2 tem memórias para CW e para voz, o que faz com que as activações SOTA fiquem mais fáceis. Eu uso as memórias para as chamadas em CW e isso facilita a operação.

Detalhes à parte, este é um rádio impressionante, pleno de características para o activador SOTA e sem qualquer possibilidade de comparação com qualquer outra equipamento que exista no mercado, na minha modesta opinião.
Apenas perde para o FT-817 por não ter as bandas dos 6m, dos 2m e dos 70 cm. Mas não se pode ter tudo e quando se entra nesta comparação, estamos a comparar batatas com cebolas…

Que se note que gostei muito de ter e utilizar o FT-817ND, bem como outros rádios, alguns construídos cá em casa, mas, com o perfil de activador SOTA que tenho, a opção seria pelo KX-2, sem a menor dúvida.
Grande “máquina”!
🙂

73 ES GL de Pedro, CT1DBS/CU3HF

 

DSCN8078.JPG

Os três KX’s…

 

A no view-this-time summit! CT/ES-001, Serra de Montejunto

04DEC2016 – AM
Ref – Last activation 27SEPT2015

It was raining when I set off from home but after a while the sun is shining…Well, I thought, maybe this is a good idea!

On the road, start climbing the mountain my feeling drift a while: Rain and wind…Reaching the military barracks I realized that I’m in the middle of cloud for quite some time.

But rain and wind are also natural elements. So, wearing my hiking clothes and my backpack I started walking along the trail that lead to Nossa Senhoras da Neves (Our lady of Snow)

The trail were fixed from past problems. Essencials signs are clear now. 🙂
With a better weather that would be a worderfull walk!

Reaching the activaing zone, the weather is roaring (literaly) – See video

I took shelter near the Chapel of S. João Batista (the higher chapel in the summit), leaving behind the chapel of Nossa Senhora das Neves, which stay by the side of the road that heads to Portuguese Air Force radar station.

I found a small cubicle open, on the right side of the chapel. Even so, humidity was abundant in the interior

I used the holes in the rock wall to have a shack. The fishing pole and the EFLW was attached to a garden seat on the south façade. The RG-174 was runing along the unique window of the cubicle.

While avoiding to make a shelter with a tarp 🙂 I had to use my rite-in-the-rain notebook to log in the QSOs, because my usual notebook was almost wet!
Brrrr!

I kept equipped because of humidity and cold. Also, the op position was standing up because that’s the unique position where the all the wiring was ok.

Started CQing on the 40m band but no answer.

I tried to hear CT2GSN and CT7ABG, that should be in MN summit (North of Portugal) but no luck.
This was happening in a day where I prepare everything to do a SSB QSO…
Next time, I guess!

CQing on the 20m gave me the qualification for this summit quickly. I made 10 QSO in a row, followed by 4 more in the 18 MHz… And I went off  because of the weather.

Sometimes my gloves were taken off during QSOs because I’m struggling to use the CW paddle with gloves on. The gloves are waterproof…
Need more training with gloves on!

Descent with “usual weather”…

I tried to visit the Royal Ice Factory (18th century) but a heavy rain and a tight time table sent me back home!

Now, all stuff are drying, knowing that the KX-2 should almost waterproof…

73